14 de fev. de 2022

'Anímica', de Milton Rezende

 

A ideia deste livro veio de uma derivação. Eu já tinha pronto e no prelo, para sair, a minha Antologia Poética. Acontece que era um projeto maior, que cobria grande parte da minha produção poética ao longo destes exatos 36 anos de estrada literária, a contar da data da publicação do meu primeiro livro, 1986. Nesse ínterim surgiu a possibilidade da inscrição em Ervália, MG, minha terra natal, numa iniciativa cultural no âmbito da Lei Aldir Blanc. Remodelei meu projeto, enxuguei-o ao máximo para se enquadrar aos valores e parâmetros estabelecidos pela Lei e o inscrevi ao certame. Foi escolhido e agora ele é este livro que você tem nas suas mãos. Acolha-o, como se acolhe um protótipo de algo maior, mas que, no entanto, pode ter a certeza de que ele é autônomo e traz todas as características específicas a si mesmo e nada fica a desejar ao corpo maior de onde foi extraído. Se lhe achares qualidades serão as qualidades da Antologia Poética. Se lhe achares defeitos serão os mesmos da obra-mãe. Como se num filho você já encontrasse todas as qualidades e defeitos dos seus pais. O pedigree é o mesmo e o cavaco não voa longe da tora de madeira. Então, convido-o a pegar sua machadinha e começar a escalavrar. Talvez encontre elementos interessantes que valha a pena seu mínimo esforço de tentar. Espero que sim e então já terá valido a pena, conterrâneos desta cidade utópica, em que amamos nos dissolver e encontrar aquele menino franzino da nossa infância perdida. Se algum dia crescermos aí poderemos talvez alçar voos maiores, numa Antologia Poética ou mesmo numa Obra Completa. A literatura estará sempre à nossa espera. 


Edição: França & Gory
Seleção e Revisão: Milton Rezende
Produção: Francisco de Assis Campos e Maria José Rezende Campos
Capa e diagramação: Ricardo A. O. Paixão
Gênero: poesia e prosa poética
Formato: 16x23
Ano: 2022
Páginas: 106
Pólen soft 80 

Anímica 

quando eu tinha todos os movimentos

eu era sol entre nuvens
aves de arribação
qualquer coisa de menos sólida
por haver.
eu via cachoeiras em meus sonhos
remanso de rios
pedra grande de sentar menino
florestas a esculpir. 


Amostra grátis: leia alguns poemas da obra AQUI.


Milton Rezende nasceu em Ervália (MG). Viveu parte da sua vida em Juiz de Fora (MG), onde foi estudante de Letras na UFJF. Funcionário público aposentado, atualmente reside em Campinas (SP). Sua obra consiste em treze livros publicados, entre os quais Inventário de Sombras (Multifoco, 2012), A Magia e a Arte dos Cemitérios (Penalux, 2014), Mais uma xícara de café (Penalux, 2017), O jardim simultâneo (Penalux, 2013) e Anímica (Penalux, 2022). Possui o site www.miltoncarlosrezende.com.br.


Nenhum comentário: