23 de jan. de 2022

'Anne B. – A hora mais pacífica', de Beatriz Aquino

 

O belo projeto gráfico da Editora Laranja Original propicia ao leitor uma instigante e consistente viagem que reflete toda a conjuntura desesperadora que a humanidade vive hoje. 

“Introspectivo e revelador. 

Logo na epígrafe, Anne B., a personagem que dá título e carne ao novo livro de Beatriz Aquino, avisa: não é para o alto, nem para longe que voamos quando o mundo se torna cruel e perigoso; é para dentro o vetor, no momento em que o difícil se impõe. 

Assim, de entrada temos já a tônica que perpassará esse romance de delineações intimistas e de forma próxima ao epistolar, dialógico e monologal ao mesmo tempo. Um convite, sem titubeio, ao mergulho, à intensidade por meio de uma prosa poética que promove estados vertiginosos no leitor, ao eleger o fluxo de consciência, esse recurso sempre imbatível na abordagem das emoções, como via de acesso. 

Sua impressionante plasticidade – mesmo lexical e prosódica – e habilidade para remeter o leitor às funduras da complexa relação da protagonista com um espectral Francisco, o remete também, o leitor, por identificação, às suas próprias profundezas. 

Construções lapidares de períodos curtos, como “acordei urgente de novo” é apenas um exemplo do máximo de condensação de sentido no mínimo espaço, recomendação de Ezra Pound no tocante à literatura enquanto arte, que a autora logra ao longo da obra. 

Em alguns momentos, a prosa de Beatriz Aquino lembra o fragmentarismo lispectoriano, ainda que de Anne B. – A hora mais pacífica não se possa dizer que seja fragmentário e sim uma produção de ordem estética mais próxima de um pontilhismo, pixelando-se, tecendo-se a partir de partículas em busca do todo. O movimento de Anne B. é analítico e parte de um não-saber que nos move a um saber-a-mais, leitmotiv lacaniano da psicanálise. 

O livro que o leitor tem em mãos fala de movimentos internos na filiação de autoras como Marguerite Duras e Inês Pedrosa, um texto também reflexivo, uma viagem surpreendente.” 

Vanessa Maranha – escritora e psicóloga.

 

Há um QR CODE no volume que direciona o leitor para um vídeo onde poderá conferir também o talento da autora como atriz. 

À venda em:

https://www.laranjaoriginal.com.br/product-page/anne-b 

Ou com a própria autora: https://www.facebook.com/beatriz.aquino.77

 

Beatriz Aquino, além de escritora, é formada em Publicidade e Propaganda e atriz de teatro. Lançou, em dezembro de 2022, o livro Anne B. pela editora Laranja Original. Beatriz também é autora dos livros Apneia (romance), A savana e eu (crônicas) e Caligrafia selvagem (poesia). Colabora em diversos sites, jornais e revistas, como o jornal O tornado e a revista InComunidade, de Lisboa. Atualmente vive em Portugal.

Nenhum comentário: