22 de dez. de 2020

O poema é apenas um grito

Por Milton Rezende


Poética I 

Há um grito

em mim

que não distingo

do grito

que ouço além

da minha surdez.

 

De noite adormeço

com o sopro da morte

que dissipa em nós

a certeza de que

este sono é trágico

e pode ser o último.

 

A cidade

não sabe das sombras

que gritam pelas ruas

sem perturbar o silêncio

da espécie adormecida.

 

O poeta

está sitiado

pelos seus fantasmas

e caminha na rua

com seus passos

de falso duende.

 

O poeta

chega ao cais deserto

e compreende que o seu ódio

é o instrumento legítimo

para igualar os homens

no que eles têm de precário.

 

O poeta escarnece

de si mesmo mas sabe

que há certas coisas

que não se aceita assim

impunemente e sem revolta.

  

Os homens estão todos presos

e o poema é apenas um grito

que sufoca em palavras o desespero

dessa nossa cela absurda.

Do livro Areia (À fragmentação da pedra) (João Scortecci Editora, 1989). Pedidos de exemplares pelo e-mail coisasprobule@gmail.com. Preço: R$ 20,00 + R$ 10,00 frete = R$ 30,00.

 

Poética II

 A chuva fina

dissipa o sonho

de domar o verbo.

É estranho como

as palavras parecem

ter consciência

de si mesmas, e

se procuram e se

acham no poema.

É como se o poeta

fosse apenas um

coautor dos versos

que se escrevem e

dão uma função aos

escritores, que os

transcrevem.


Do livro Inventário de sombras (Editora Multifoco), esgotado. 

  

Poética III

Há muito tempo

que não escrevo

sequer um poema.

E ontem quando

eu estava vendo

uma entrevista

com um escritor

latino-americano,

pensei que era

chegada a hora

de eu quebrar o

silêncio e entrar

em comunhão

com as musas.

Aconteceu

no entanto

de elas estarem

em recesso comigo

devido ao motivo

de minha longa

ausência.

Então aprendi

a simples lição

de que a literatura

deve ser praticada

com a paixão jovem

e renovada de quem

não teme a morte

e nem a desafia,

apenas tece o seu

canto de espera e

monotonia.


Do livro A Sentinela em Fuga e Outras Ausências (Multifoco, 2011), esgotado.

Nenhum comentário: