9 de nov. de 2020

Sangue e fúria cega

Por Milton Rezende

 

141 A

Sequência final

numa casa de 24 m2

com vista de frente

para um beco lateral.

O piso era grosso

antes de eu assimilá-lo,

mas como a vida

permaneceu em

desalinho eu adormeci

deitado de lado e tombado

em lençóis queimados

no espaço entre as camas.

Com uma aliança invisível

na mão direita e um cheiro

forte de esgoto vindo do banheiro.

E pensar que havia promessas

veladas feitas a mim mesmo

no escuro de uma vida desfalcada.

Pinturas metálicas malfeitas

no fundo de um espelho manchado

e de brilho opaco.

 

459 A

Abandono total

numa casa de 29 m2

com vista de fundo

para um bambuzal.

O piso era claro

antes de eu pisá-lo,

mas depois a vida

converteu-se em

desordem e acordei

deitado de costas

num corredor

do lado de fora,

com a chave na mão

esquerda coberta de

sangue e a fúria cega

de quem não se lembra

de nada.

 

Do livro Uma Escada que Deságua no Silêncio.

Nenhum comentário: