29 de jul. de 2020

Você pode ganhar o livraço 'Um andarilho dentro de casa', de Milton Rezende!


Milton Rezende expressa na sua poesia os lados latentes do seu espírito, o qual não encontraria outros caminhos para existir, a não ser quando revelados em sua forma pura, desnudada pelas palavras. O raciocínio poético utilizado por Milton não joga demasiadamente com as palavras, pelo contrário, diz exatamente o que se intenta entender nos primeiros contatos com sua poesia. Milton diz da dificuldade em conciliar seus paradigmas de homem rural com as novas ideias propagadas por uma juventude que pensa entender de tudo. Por este olhar, o poeta afirma ter preferência por sua sabedoria pragmática, ainda que ela seja de fato exposta a fraudulência. No poema “Alzheimer preventivo” o poeta desabafa o peso que sente pelo julgamento externo, e encontra na transfiguração dos seus sentimentos para as palavras o refúgio contra a maldade dos homens. Já em “Medo de...de/decair” o tema da morte faz-se presente na convicção de que o fim do ser é a ausência de dor, e também de que o homem não deve lutar contra o poder impositivo da morte, ainda mais quando é ela o anestésico contra a dolorosa vida. Os temas para este escritor são diversos e sempre expostos sem mascaramento pela escolha de palavras simples com poder de formar sua narrativa poética sem o comprometimento de seu entendimento.

1986 – 2016: trinta anos da poesia andarilha de Milton Rezende. Um marco e ao mesmo tempo um desafio. Como seguir adiante sob o peso destes dez livros publicados? Uma vida se transcorreu nesse intervalo debaixo da chuva ou em dias de sol mas, na verdade, ao pé da letra, não se saiu muito do lugar de onde se começou a andar, em círculos concêntricos de perplexidade. A literatura é cíclica e ainda hoje nos convida a seguir as mesmas trilhas com as questões que nos motivaram. O negócio é seguir caminhando, andarilho sem causa, à beira do caminho, no meio dos atalhos de pedra e de sonhos. 

 

EXPURGO

hoje eu mordi

um chumaço de

papel higiênico

para estancar

(ou tentar conter)

o sangramento

da língua dilacerada:

como um cadáver

antecipado que devora

o seu próprio sudário.


Onde comprar:

No site da Editora Penalux (penalux@editorapenalux.com.br) ou diretamente com o autor (milton.rezende@yahoo.com.br).


Sobre o autor: 

Milton Rezende nasceu em Ervália (MG) em 1962. Viveu em Juiz de Fora (MG), onde foi estudante de Letras na UFJF. Funcionário público aposentado, atualmente reside em Campinas (SP). Escreve em prosa e poesia e sua obra consiste em doze livros publicados. Possui colaborações em diversos blogs, revistas, jornais e sites de literatura. Site: www.miltoncarlosrezende.com.br


*** ***

Caro leitor, será sorteado 1 (um) exemplar do livro Um andarilho dentro de casa, de Milton Rezende. Para participar do sorteio:

> Seja seguidor d'O Bule em uma das nossas mídias sociais: Instagram, Twitter, Youtube ou Facebook.

> E para facilitar o contato d’O Bule com o vencedor do sorteio, responda a este formulário privado, de apenas três questões obrigatórias: https://forms.gle/wVsJhgpTt4RfqEbL8.

*** Atenção! A promoção é válida até dia 14 de agosto de 2020. Boa sorte! ***

Nenhum comentário: