27 de out. de 2012

Cinco lascas narrativas


Por Geraldo Lima

Horas e horas de oração, de rogo, e o mal avançando, palmo a palmo, quase tocando-lhe a alma.
***
No desespero, invocou a ajuda de Deus. Esperou, até o último segundo, que Ele desviasse a lâmina do seu corpo.
***
A dor é tão intensa, que ela tem de recuar até o passado. Ali, num dia de sol e praia, ela foi de fato feliz.
***
Vai esperar por ela até tarde. Abre uma cerveja, liga o televisor, senta-se no sofá. O pensamento armado até os dentes.
***
Amola a faca, enrola-a numa folha de jornal e sai disposto a tudo. Mas Deus é que vai guiar-lhe a mão na hora precisa. 

3 comentários:

Fernando Rocha disse...

A perturbação eterna do instante, esta coisa que acontece fora da boca de Cronos e se perpetua fazendo com que a alma adoeça.
Geraldo, também escrevo narrativas curtas, gostaria de lhe mostrar ao menos uma delas.

Dauri Batisti disse...

Gosto disso, desse estilo, desse jogo com as palavras e os sentidos.

Geraldo Lima disse...

Fernando e Dauri, grato, meus caros, pela leitura e pelo comentário. Valeu mesmo! Um abraço.
Geraldo Lima