27 de nov. de 2010

Nanonarrativas

Por Geraldo Lima

Apresento-lhes, caros leitores, as lascas narrativas (ou nanonarrativas) que venho tuitando nos últimos meses. Algumas foram compostas diretamente no twitter, ou formatadas lá, dentro do limite dos 120 caracteres. Só em dois textos fiz uma pequena modificação para esta postagem: grafei ‘que’ em vez de ‘q’. A busca da concisão, com o máximo de significado, tem me orientado na elaboração desses microtextos.


Lascas

Disse que não, que gritaria, mas depois gemeu, chamando-o de meu amor.

*** ***

Já estava deitado quando ela chegou, tarde, esbarrando nos móveis e tateando no escuro em busca do banheiro.

*** ***

Arrastou-se até sair da lama. Ia morrer, mas com dignidade.

*** ***

Depois do quinto copo, esqueceu os sermões do pastor: subiu na mesa e dançou como uma stripper.

*** ***

Preciso dizer algo importante. Se alguém pudesse me ouvir, seria bom, não leva muito tempo, também tenho urgência. Há alguém aí?

*** ***

Foi no dia em que o touro se deu bem. No dia em que o touro chifrou o toureiro. Foi nesse dia que ele chegou bêbado e quebrou o televisor.

*** ***

A fumaça do incenso forma galáxias no centro da sala. É o fim, ele sabe. Ana cruza esse universo e evapora-se sem dizer adeus.

*** ***

Desde a infância carregava aquele corpo inexpressivo, carente de carne e força. Doenças e vagar a ermo alimentavam-se do seu ser.

*** ***

Os homens chegaram, como que do nada, e abriram fogo. Depois sumiram por uma fenda na parede, por uma passagem secreta no corpo do dia.

*** ***

Sucumbiu aos apelos dum chamado estranho, vago. Agora, no ermo, espera, aflito, o céu se abrir num clarão.

*** ***

Pela décima vez, serviu-lhe um copo de suco com uma pitadinha de ódio dentro.

6 comentários:

Anônimo disse...

Cada vez gosto mais deste tipo de narrativa:). Não sou fã do twitter, mas acho que você conseguiu um bom trabalho com estes microtextos.
Continuação de bom trabalho.

Cumprimentos
Emanuel R. Marques

www.myspace.com/emanuelrm

Anônimo disse...

Muito bons, adorei a subjetividade escondida em uma só frase. :)

Até.

Mariany Carvalho
http://badu-laques.blogspot.com

Geraldo Lima disse...

Obrigado, Emanuel.

Márcia Luz disse...

No twitter a possibilidade do haicai da narrativa! Gostei muito da sétima, talvez porque Ana é meu nome preferido quando preciso de um personagem, talvez pela imagem das galáxias nebulosas no meio da sala...
Excelente trabalho!

Geraldo Lima disse...

Obrigado pela leitura e pelo comentário, Mary. Um abração.

Geraldo Lima disse...

Então, Márcia, é isso: a concisão do haicai transporta para a narrativa, e o twitter nos facilita esse trabalho. Creio que tenho também uma fixação com esse nome, vez ou outra, até sem perceber, nomeio assim minhas heroínas. Obrigado.
Um abração.