4 de jul. de 2010

Afinal de contas, o que é e para que serve RSS/Feed?

Hoje abrimos mão da literatura para tentar ajudar na divulgação da mesma, auxiliando a organizar aquilo que você lê, assiste, ouve e quase tudo que fazemos uso na Internet.

Normalmente, quando você gosta de um artigo, site ou blog que visitou, você adiciona aos seus favoritos, correto? E é natural voltar a ele dessa forma – acessando a sua pasta de Favoritos e buscando na sua lista. Ou então “jogando” o nome do que você quer em um site de buscas. Mas quando você esquece o nome desse site? Ou limpa o Histórico do seu navegador? Ou se “perde” na própria pasta de Favoritos, o que você faz? É natural que após algumas tentativas frustradas deixemos “pra lá” e esperamos que um dia topemos com aquele artigo, aquele conto, aquela foto novamente. Então, não seria interessante ter uma ferramenta que auxiliasse você a organizar esse conteúdo? Essa ferramenta já existe, é o RSS/Feed.

Qual o internauta que nunca se deparou com as seguintes mensagens: “Assine o nosso feed”, “Receba o não-sei-o-quê por e-mail”, “Subscribe this blog” e diversas variações do mesmo tema (e nós também temos, é só olhar na nossa barra lateral do site). Mas será que todos sabem o que significa?

O que afinal é um RSS/Feed?
RSS é uma abreviação de um conjunto de instruções em XML muito utilizada na internet que tem por objetivo reunir diversos tipos de conteúdo. E assinar um RSS é a maneira mais fácil que você, leitor, tem de se associar aos sites e blogs de que mais gosta e visita com frequência sem a necessidade de ter de acessá-los sempre, digitando o seu endereço no seu navegador. Isso só é possível porque existem os feeds, endereços que distribuem esse conteúdo no formato RSS através dos programas ledores de RSS, que alimentam (daí o nome ‘feed’) os chamados agregadores, fazendo-o de maneira rápida e automática, atualizando aquilo que você acompanha.

Quais as formas de assinar um feed?
Através dos já mencionados agregadores (onlines ou dentro do próprio navegador), bastando clicar neste ícone ou neste , conforme o navegador utilizado. Localize uma dessas imagens no seu navegador ou nos sites. Usemos como exemplo o Google reader por simplesmente ser o programa que é usado com mais regularidade pelos nossos colunistas (veja uma lista aqui de outros agregadores). Acesse www.google.com/reader e clique em “Adicionar inscrição” (fig. 1).

(Fig. 1)

Abrirá o local em que você deve inserir o endereço do feed, por exemplo, o link d’O BULE: http://feeds.feedburner.com/blogspot/bbem

(Fig. 2)

E só. Basta isso para começar a ler O BULE via agregador e sempre que o blog for atualizado o conteúdo será alimentado via feed, respeitando o horário das atualizações. Para acrescentar outros blogs, sites, é só refazer os passos da figura 1 e 2. Você também pode organizar os seus feeds por pastas e outros critérios, compartilhar no Twitter, Facebook etc.

Além disso, você pode assinar o Feed pelo seu próprio navegador; basta clicar no ícone do RSS na barra de endereços (fig. 3).

(Fig. 3)

E seguir o passo seguinte, confirmar o desejo de assinar o feed. Veja a tela que surge no Firefox (fig. 4) – os outros navegadores apresentam telas similares.

(Fig. 4)

E para além disso tudo, e se você leitor d’O BULE chegou até aqui neste texto chato (e não literário!), porém necessário para sua melhor integração com o conteúdo que disponibilizamos e da própria Internet, reservamos o que consideramos o melhor para o final – fora as assinaturas descritas, há uma terceira bastante utilizada: o feed comumente chamado de newsletter. Ao contrário do leitor ir até o conteúdo, o conteúdo vem até ele via e-mail. Basta adicionar um e-mail válido naquela caixinha (fig. 5)

(Fig. 5)

Aí é só clicar em “enviar” e seguir os passos restantes. E, mais uma vez, só! Depois é aguardar a próxima atualização do site, blog, canal de notícias etc.
Algumas assinaturas são semanais e outras diárias, depende da gestão e das estratégias de quem fornece o conteúdo. O BULE adota o envio de resumos diários, deixando a critério do seu leitor a escolha de ler toda a postagem se assim lhe convier, bastando para isto clicar no título da mesma para ser redirecionado para o nosso site.

É isto, esperamos que tenhamos ajudado a entender essa ferramenta que de fato ajuda o leitor escolher o que quer apenas ler do que quer conservar, e a nós atingir mais pessoas e, com isto, propagar a literatura.

Utilizamos como referência para esse texto os sites Wikipedia.org e Rssfeeds.com.br

Editores d’O BULE

2 comentários:

HOMERO GOMES disse...

Mauro, chato não, muito importante esse texto. Uma aula para os nossos seguidores. Precisamos disso, sempre. Abraço. HG

Mariana disse...

Mas também não adianta disponibilizar um feed incompleto, "leia mais no blog" é tão boring... ALÔ PESSOAL DA TÉCNICA