20 de jun. de 2010

Nacos de Necas & Outras Histórias - 02

Por Claudio Parreira


1

Caminho em silêncio, guiado pela luz do cigarro.

Meus passos iluminam as coisas: um poste, a calçada, um gato.

A solidão que me acompanha reclama do frio.

Eu insisto que é verão.

Discutimos.

Mas não há quem nos separe.

2

O destino se intromete e transforma as coisas:

— o teu em nosso

— o nosso em meu

— o meu em vosso.

Aí eu pergunto:

— Posso?

3

Troquei o sorriso pela felicidade.

E a felicidade era tanta que eu precisei sorrir.

Mas já não havia como.

4

O passado volta e meia se faz presente:

— aparece no supermercado

— sorri com dentes antigos no metrô

— acena com a mão de um velho amigo

— surge cinzento bem no meio de uma tarde colorida

O futuro em nada se diferencia. A não ser, talvez, pelo ponto de vista.

5

A minha mãe vem da morte pra me visitar.

Diz que estou magro

que só engordo palavras

solitário demais neste mundo que se faz a dois

que sabe dos meus cigarros

e que lamenta as minhas garrafas.

Essa aí a minha mãe, que ocupa a sua morte com a minha vida.


7 comentários:

ralph peter disse...

Prezado Claudio, texto maravilhoso, de profunda e maginifica ins.....piração. "fossa" deliciosa. Tivera talento para musi(cá-lo). Problema de vocabulário pequeno que tenho. Real// meu caro, vc. está mais uma vez, arrraaasssaaannntteee!!! Abs.

Limeira disse...

Olá! Gostei muitíssimo desses textículos agravantes. Você é um grande Poeta. Posso publicá-lo no meu blog? Saludos. Maria José Limeira.

Parreira disse...

Oi, Limeira!

Pode publicar no seu blog, sim.

Agradeço a visita e o comentário!

Anônimo disse...

Parreira,

Um tanto mais poético dessa vez? Ou seria mais reflexivo? Acho que principalmente com um eixo "polarizador" mais forte. Fico aqui conjecturando as facetas do mesmo sujeito e suas 5 faces.

Abraços.

Geraldo Lima disse...

Poesia à flor da pele, essencial, capaz de nos arrancar da insensibilidade.

Daniel Barbosa disse...

Parrêrão, isso aqui é uma escola pra garotos esfaimados como eu! Passarei mais por aqui, beberei mais desse bule, meu vigarista preferido!

Grande abraço, nego!

Dan (@danielbarbosa_)

Parreira disse...

E aí, Daniel? Gostou mesmo do café?