2 de mar. de 2010

Entrevista com Moacir C. Lopes - Aperitivos

(Moacir C. Lopes)
.
"Nestes 50 anos convivi com a maioria dos grandes escritores brasileiros, como Jorge Amado, Luís da Câmara Cascudo e Campos de Carvalho, com os quais mantive vínculos de amizade. Destacaria também (...) e, acima de todos, Graciliano Ramos, que considero o mais importante escritor brasileiro."

"A ressurreição de Antônio Conselheiro era e ainda é esperada pelos conselheiristas. A realidade que os levou à rebelião continua viva em nosso país. E cada vez mais viva. Eles foram massacrados em Canudos, mas o ideal não pode ser vencido à custa de fuzis e baionetas."

"Tenho acompanhado, na medida do possível, a produção de novos autores, porque são a continuação da literatura brasileira, trazem novas posturas, novas linguagens, mas não tanto quanto necessário."

"Tenho sido um bom leitor durante a vida inteira, até aqui. Tenho lido por prazer estético e por aprendizagem literária. São inúmeros os mestres da literatura brasileira e universal, cada um com sua marca registrada. Não aconselharia este ou aquele, a não ser aquelas obras de leitura indispensável, como (...)"

"São os mais árduos os percalços de um escritor em nosso país. Seu ofício é quase obra missionária, porque é e sempre foi escasso o número de leitores para consumir nossa literatura. Machado de Assis, por exemplo, editava seus livros em média de 100 exemplares, porque a população brasileira era analfabeta na maioria e as elites intelectuais liam escritores franceses. Hoje, mais de cem anos passados, as tiragens de livros são ridículas em relação a outros países. Alegam ser caro o livro, o que é meia verdade, porque tem quase o valor de um cd ou dvd, que é amplamente consumido pelas camadas mais pobres."

"A literatura vale a pena. O escritor é o mais fidedigno repositório e retransmissor da cultura de seu povo, porque não está sujeito a injunções políticas e sociais, mas é o crítico de sua sociedade. Conheço todas as agrúrias da vida dos escritores brasileiros, mas jamais pensei em desistir dessa missão."
.

Um comentário: