10 de fev. de 2010

'Manicômio' - Parte II

Queridos e fiéis leitores d’O BULE,

Aqui, como dito na postagem anterior, publicarei a série Amor amor: ruínas, do livro Manicômio, ainda inédito, de minha autoria. Da série farão parte, entre outros, os contos: Beócia carta para um mundo igualmente etc., Um vôo entre as estrelas e o chão, O mundo desencantado de Desseres, A fuga, Amor-perfeito, Clarissa, As (im)perfeições do nosso amor e Juntos, eles viram a lua e ela era lilás. Espero que acompanhem e gostem.

E para finalizar, abaixo um poema, do meu amigo Luiz Cézar Cordeiro, dedicado ao conto Uma viagem ruim, um dos contos de Manicômio:

Ode a uma viagem [ LuiZ CéZar Cordeiro ]

Caso duvide, falarei onde estou...
Só lhe peço uma coisa: não me deixe em estado de banalização.
[Uma viagem ruim – Rogers Silva]

I used to love her não sai da minha cabeça
Como uma trombeta que reaviva
Meu passado um pouco recente.

Sim, já quis matar alguém.
Por amar tanto sem saber ao certo
Onde se armazenam as lágrimas.

Minha juventude pode ainda estar no rosto
Viva, teimosa e inocente
Mas sinto como pedra a mocidade dos meus sonhos.

Ora, não morri de amor
Só quis matar por não saber...
Soube de tudo depois que o amor virou silêncio.

Este silêncio de matar
Esta morte por dentro passageira
O infinito definhar-se enquanto Axl cheira pó.

Pensaria eu que a vida chegaria
A este futuro recente, e eu equilibrado
Pudesse sobreviver sem saber aproveitar o amor?

Talvez ela, a vida, prometeu-me um amor
Matou-me diversas vezes para que eu pudesse
Estar exatamente aqui.

Ah! Minha juventude
Minha viagem foi tão ruim e hoje
Adormeço sorrindo, pois tenho sono, muito sono.”

Até-semana-que-vem!
Fiquem com Deus, cada qual com Aquele que mais lhe convier!
Abraços, beijos do

7 comentários:

Anônimo disse...

Que venham então os contos, Rogers, e a loucura em sua plenitude.

Parreira disse...

Vejo aqui que o espetáculo está montado! Venha, pois, o Manicômio e sua fúria, saciar a sede do público que urge!

Jean Imani disse...

Rogers, estou pasmo com sua erudição literária. Nunca iria imaginar que um dia poderia conhecer( virtualmente falando, é claro) esse escritor que já me deu uns bons "tocos" por mancadas cometidas rsrs. E posso dizer mais, você esta dando aulas de literatura, e de como ser escritor de verdade. Já li uma de suas publicações no Bule, e posso ver o peso de suas obras. E digo mais, está íntimamente ligado com que (há) de melhor No BULE. Estarei atento ás suas publicações. Que venha mesmo.


Parabéns, Rogers.

Jean Roberto.

Rogers Silva disse...

anônimo, não chega a ser a loucura em sua plenitude, mas é que todos que lêem acham esses contos densos e, se lidos como obra, talvez o impacto da densidade seja maior do que ler avulsamente.

parreira, muitíssimo obrigado pelo comentário.

jean, como assim? ahuahuahuhau. tocos? não lembro! he-he. no mais, seu comentário me deixou mto feliz, acredite.

forte abraço a todos. continuem acompanhado a minha, a dos outros colunistas e a literatura dos colaboradores.

Pedro disse...

Uma obra de arte...
muito bom ...

wilza rezende disse...

realmente muito bom , profundo, quem que não tem um pouco de louco?

Luiz Cézar Cordeiro disse...

Manicômio Rogers é de uma complexidade que eu não havia compreendido na primeira leitura. Talvez o poema-homenagem a um dos seus contos seja um leitura minha inocente, talvez desatenta, mas sincera. Sua obra realmente é de tirar o fôlego, como já li no blog em alguns comentários.